Gestão

Cerâmicas para restaurantes: como escolher

Se você está abrindo o seu restaurante ou está passando por processo de renovação, saiba que a escolha dos pratos é algo que merece uma atenção especial.

Afinal de contas, é o prato que ajuda na valorização da comida e também contribui para despertar a curiosidade e facilitar a refeição dos clientes.

No post de hoje, portanto, vamos falar um pouco sobre as cerâmicas para restaurantes para te ajudar a fazer a melhor escolha para o seu estabelecimento.

Itens a serem considerados na compra de cerâmicas para restaurantes

De acordo com Marco Amatti, CEO da Mapa Assessoria, é necessário levar em consideração algumas características do próprio estabelecimento antes de escolher os pratos, tais como:

  • A aparência do serviço como um todo: mesas, toalhas/jogos americanos, talheres, guardanapos e adereços;
  • O tipo de serviço a ser oferecido (self service, fast casual, etc.);
  • Estética;
  • Facilidade de reposição;
  • Resistência do material escolhido;
  • Fluxo operacional (se cabe na máquina de lavar, como é o empilhamento, serviço com o prato e armazenamento) no intuito de compor o custo geral.

Segundo o CEO, o tamanho das mesas/balcões e bandejas em que serão servidos também devem ser levados em conta. “Talvez por isso os redondos brancos ainda sejam os mais vendidos”, afirma.

Amatti também alerta sobre os materiais e o local da compra cerâmicas para restaurantes:“Os pratos devem ser ‘profissionais’, vindos de indústrias e representantes das marcas que atendam restaurantes. Porcelana e melamina são os destacados, e para operações mais simples/específicas, eventualmente alguns tipos de vidro, outro material plástico ou cerâmica.

Quando arriscar em formatos que fogem ao tradicional

O formato do prato impacta na visualização e valorização do produto final e na quantidade ingerida percebida, tudo em função da montagem proposta. A harmonia em todos os detalhes é que forja o impacto no cliente.

Segundo Amatti, a escolha de pratos que fogem ao tradicional depende da proposta do estabelecimento “Tudo depende do conceito e da operação proposta. Em geral, os pratos brancos e redondos (dependendo do tamanho) se encaixam bem na máquina de lavar louça, os tamanhos mais comuns entre 26 e 30 cm. Para tentar outros formatos (existem alguns bem adaptados mais ovalados) deve-se pensar na questão operacional”.

Mas como não errar ou exagerar na escolha das cerâmicas para restaurantes? “Infelizmente o mercado não diz muito sobre isso e leva-nos a um padrão, mas em operações pequenas ou típicas com produtos artesanais ou com conceito que exija um diferencial na apresentação, vale a pena arriscar”, finaliza Marco Amatti.

Dicas adicionais para escolher os pratos ideais

A seguir, separamos outras dicas importantes para que a escolha dos pratos não prejudique a experiência dos clientes:

  • Menus salgados ou doces que tenham calda, molho ou algum líquido, como uma sopa, devem ser servidos em pratos fundos, bowls ou até em um copo charmoso;
  • O contraste de cores entre o prato e a comida pode funcionar muito bem. Por exemplo: um arroz doce pode ser servido em um prato colorido, como vermelho, azul ou preto, pois o branco pode deixar o resultado menos atrativo;
  • Não se esqueça de escolher um prato que facilite a refeição do cliente. Imagine ele ter que cortar uma carne em uma tigela? Isso pode, inclusive, causar acidentes;
  • Se o seu estabelecimento serve as refeições em recipientes descartáveis, considere substituir os tradicionais de plástico por outros formatos como de bambu, por exemplo. Certamente eles darão outra cara no resultado final.

O que achou das dicas para escolher as cerâmicas para restaurantes? Para conhecer todas as novidades sobre estabelecimentos de alimentação fora do lar, então acompanhe sempre as atualizações aqui do blog da Fispal Food Service.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *