Marketing

Como promover boas experiências através da carta de vinhos

Ao entrar em um restaurante, não é apenas a decoração do ambiente e o atendimento dos garçons que faz com que a experiência seja agradável para os clientes.

A carta de vinhos também faz parte desse encantamento e, inclusive, pode ser uma peça fundamental para que as pessoas passem mais tempo no estabelecimento e voltem outras vezes.

A carta de vinhos deve ser condizente com a proposta do restaurante. Por isso, muito mais do que selecionar os rótulos, o cliente precisa notar algo especial nela, seja uma harmonização inusitada, uma boa apresentação e organização dos vinhos ou, até mesmo, um tema que permeie toda a carta.

Parece uma tarefa muito complexa? Então, veja como montar uma carta de vinhos que proporcione experiências inesquecíveis em seu estabelecimento!

Como o vinho colabora para a fidelização de clientes

O vinho pode sim ser um fator crucial para fidelizar clientes. Justamente por levar a experiência com o ambiente e refeições a outro nível, ele permite diferenciar o restaurante e deixar aquele gostinho de “quero mais” ao final.

Para tanto, é preciso oferecer um serviço de vinhos justo e eficiente. “Trabalhar o valor agregado a um preço justo, sem contar a importância de a carta de vinhos ter correlação com o menu de refeições do local. O trabalho de harmonização torna-se primordial nesse processo“, diz Klaus Vidrik, professor do curso de Gastronomia do Centro Universitário Senac – Águas de São Pedro.

Dicas para transformar a carta de vinhos em um agente de vendas

Saiba que é possível inovar na carta de vinhos e torná-la um diferencial para o seu estabelecimento. Como dissemos, a bebida pode fazer com que o cliente fique mais tempo no restaurante e, assim, consuma mais.

Estratégias de buscar vinhos de países ainda pouco explorados no Brasil têm sido um dos pontos para inovar. Algumas empresas buscam novas espécies de uvas e outras estão resgatando uvas que, até então, relatava-se que estavam dizimadas para produzir bons vinhos“, ressalta Vidrik.

#1. Harmonização condizente

A carta de vinhos deve ser condizente com o tipo de cozinha do estabelecimento. É comum que restaurantes com cozinhas típicas de um país valorizem os rótulos da região, mas isso não é uma regra.

Agora, se o local é especializado em comidas picantes, por exemplo, a seleção de vinhos deve dar várias possibilidades para que o cliente enriqueça a sua experiência gastronômica. Nesse caso, uma carta de vinhos brancos frescos ou tintos leves cai muito bem.

Outra dica importante é sempre reservar um espaço para vinhos nacionais, especialmente quando o restaurante é brasileiro.

#2. Preços justos

O preço médio da carta de vinhos também precisa estar de acordo com o preço do restaurante. Isso não quer dizer que um local mais “premium” deve cobrar mais caro por um rótulo, mas que o cliente deve estar ciente que está pagando por outros tipos de experiências.

Em outras palavras, um restaurante que investe em decoração diferenciada, prataria de primeira linha, garçons altamente qualificados e uma experiência mais completa de forma geral tem um valor agregado maior. E todos esses pontos também impactam diretamente no preço final.

Já os estabelecimentos com propostas mais acessíveis e descontraídos devem ter uma carta de vinhos condizente. Nesses casos, é possível apostar, inclusive, na venda de taças ou de garrafas menores para incentivar o cliente a consumir os rótulos.

#3. Carta explicativa

Alguns restaurantes já têm optado por cartas de vinhos educativas. Nesse formato, cada prato traz o vinho ideal para harmonizar. As cartas explicativas podem ser uma boa solução para os restaurantes que não dispõem de equipe fixa ou que desejam diminuir os custos.

Quando essa for a escolha, é importante mostrar ao cliente que aquilo é apenas uma sugestão e ele pode sim “quebrar as regras” e tentar novas combinações que estejam mais de acordo com o seu paladar.

Tenha em mente que a carta explicativa tem como objetivo ajudar o cliente e não o intimidar.

#4. Qualificação de profissionais

Sempre que possível, trabalhar com profissionais qualificados na área é de extrema importância para que o estabelecimento consiga aumentar a venda de vinhos.

Profissionais que efetivamente possam vender e satisfazer o cliente na busca ideal da bebida que procura, tenham um bom relacionamento com os clientes potenciais (por meio de eventos como um wine moment) e apresentem uma carta de bebidas em harmonia com o cardápio são pontos que colaboram para aumentar as vendas“, diz Vidrik.

E você, como tem trabalhado a carta de vinhos do seu restaurante? Vamos usar o espaço dos comentários para a troca de experiências nesse tema!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *