Sorvetes

Conheça a técnica tailandesa do sorvete na pedra

O sorvete na pedra é uma das novas tendências do mercado. Esta é uma técnica tailandesa e está abrindo muitas franquias no Brasil. As sorveterias tradicionais podem facilmente se adaptar para atender a esta tendência.

Conheça um pouco sobre esse jeito de fazer sorvete e veja como a técnica pode ser lucrativa para o seu negócio.

O que é o sorvete na pedra?

O sorvete na pedra é feito por meio de uma técnica onde a massa da sobremesa é manipulada em uma pedra gelada, que atinge -20 graus. A mistura permite que tudo, de sabores a complementos, seja escolhido pelo cliente na hora do consumo.

A massa na pedra é muito famosa na Europa e nos Estados Unidos e ganha cada vez mais adeptos no Brasil, que se surpreendem com o sabor e a leveza da sobremesa.

Esse formato de sorvete lidera, no mercado da sobremesa, uma lista de inovações na forma de servi-lo. A sobremesa também é feita de maneira artesanal e utiliza uma matéria-prima importada, que tem uma massa que é considerada mais saudável, pois é rica em fibras, apresenta menos gordura que a massa tradicional e 50% menos açúcar que os sorvetes existentes no mercado.

Como o sorvete na pedra é feito?

“Na pedra congelada colocamos a massa do sorvete (o sorvete é produzido na nossa fábrica). A sobremesa é rica em fibras e vitaminas. Ela também possui menos gordura e 50% menos açúcar”, explica Émmerson Serandin, fundador e presidente da marca Ice Creamy Sorvetes

Em seguida, são adicionados os acompanhamentos como amêndoas, creme de avelã, frutas, caldas, entre outros – tudo à escolha do cliente. O sorvete é manipulado na pedra e os acompanhamentos encorpados a massa, fazendo assim um novo sorvete, onde a mistura ficará com uma consistência mais leve e saborosa.

Segundo Serandin, em sua rede, é utilizada uma pedra de mármore congelada em temperatura média de -25 graus. Uma espátula é usada para manipular o sorvete e para higienizar a pedra a cada receita que é preparada.

É necessário treinamento para fabricar esse tipo de sorvete?

Serandin explica que todos seus franqueados e profissionais da sua equipe participam de um treinamento para aprender a fazer o sorvete na pedra. “A equipe recebe um treinamento exclusivo da marca para poder trabalhar com o produto”, revela.

Dessa maneira, a qualidade do sorvete e todo seu sabor são garantidos. Além de não ter desperdícios com material na hora de fabricar a sobremesa.

Retorno sobre o investimento

Segundo o empresário, no caso da sua empresa, o retorno em relação ao investimento realizado foi de 10 meses. No entanto, o prazo médio das empresas em geral é de 24 a 36 meses aproximadamente.

Para ter sucesso com a venda de sorvetes é preciso ficar de olho nas tendências do mercado. Serandin, por exemplo, estudou os melhores sorvetes na Itália. O empresário também está sempre atento aos eventos que acontecem sobre o segmento e possui metas bem definidas.

E você, já investiu em alguma novidade em relação ao sorvete? Conta para gente nos comentários!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *