Fispal Foodservice faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

gestao-estoque

3 dicas para uma boa gestão de estoque

A gestão de estoque permite ao gestor o entendimento do que mais agrada seu cliente e ajuda a identificar grandes oportunidades de investimento – ponto crucial, principalmente para quem tem um pequeno negócio. Ter total controle das mercadorias dos restaurantes, bares e lanchonetes é fundamental para não perder dinheiro ao longo do ano. Sem o conhecimento das entradas e saídas, o estabelecimento corre sérios riscos de sofrer com a falta ou acúmulo de produtos.

Com alguns passos simples, compromisso e disciplina, o controle do estoque pode ser feito rapidamente por um membro da equipe. Quando bem treinado, e com conhecimento básico de informática pode desenvolver esse trabalho. “A estocagem deverá permanecer fechada, com acesso restrito a esse funcionário. O controle de um pequeno estoque não requer disponibilidade total, então ele poderia também atuar em outras atividades como auxiliar nas horas em que não houver necessidade no estoque”, indica Marilda Moreira da Silva, coordenadora do curso de Nutrição da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista).

1: Mantenha o controle de estoque atualizado

Seja por meio de uma ferramenta ou de forma manual, é preciso criar uma rotina de atualização do estoque. Confira semanalmente a validade dos produtos e faça previsões baseadas no cardápio e na média de refeições servidas.

Além disso, a especialista garante que é necessário verificar o consumo mensal dos produtos e estabelecer periodicidade de compras de cada tipo. “A geração de gastos não previstos no processo de estocagem pode produzir custos invisíveis, gerando prejuízo”, diz.

2: Fique atento à documentação de estocagem

Registrar todo o processo reduz as chances de perda ou sobra de produtos. Dentre as diversas formas de controle, cinco delas se destacam:

- Ficha de prateleira: fica na prateleira e facilita o registro de toda movimentação do estoque. Deve ser preenchido a cada variação.

- Ficha de estoque: Detecta histórico de consumo, entrada e saída e a evolução de preços.

- Requisição de mercadoria: é o documento utilizado por cada setor que precise de algum produto. Nele, é feita a requisição, na qual deve constar a assinatura do requisitante ou da chefia.

- Identificação de mercadoria: Todo produto deve indicar de maneira clara: nome do produtor, números de registro (inscrição estadual, CCM, CNPJ e fiscalização sanitária).

- Inventário periódico: é a fase de pesagem e contagem de todos os itens em estoque, promovendo a apuração de consumo real pela diferença entre estoques iniciais, estoques finais e volume de compras durante um período.

3: Crie um processo de gestão de estoque inteligente

De nada adianta o registro das operações se não há uma visão inteligente de todo o processo. Por isso, pense sempre num volume de compras de acordo com a estocagem e consumo e evite desperdícios.

Lembre-se sempre de que estoques altos significam maior custo, ou seja, no empate de capital e na necessidade de controle, e estoques muito baixos podem significar problemas nos processos de produção e atendimento do cliente. Com isso, basta padronizar os controles de acordo com a média e potencial de venda de cada setor ou do estabelecimento.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar