Fispal Foodservice faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

opcao-saudavel

Cardápio saudável é tendência

Você sabia que o cardápio saudável é uma tendência dos restaurantes? Leia o nosso post, entenda o assunto e inclua uma alimentação saudável em seu negócio!

O cardápio saudável é uma tendência dos restaurantes. De acordo com a empresa de pesquisa de mercado, Euromonitor International, entre 2009 e 2017, o mercado global de alimentos e bebidas industrializadas saudáveis cresceu 25%.

Em 2017, o mercado mundial chegou a movimentar o setor em mais de USD 717,8 bilhões e nos próximos anos, essa tendência para alimentação saudável deverá crescer cerca de 3% ao ano até 2022, em preços constantes. Já o relatório The Top 10 Consumer Trends for 2017, que analisa as tendências de mercado, apontou que 83% dos consumidores estão dispostos a gastar mais para consumir um cardápio saudável.

Cerca de 70% dos consumidores substituem os produtos de alimentação convencional por opções mais saudáveis, 28% acham importante o consumo de alimentos com teor nutricional elevado, 22% optam por compras de alimentos naturais e sem conservantes, 44% dão preferência a produtos sem corantes artificiais e, por fim, 42% optam por itens que não possuem sabores artificiais.

Como você pode ver, o comportamento do consumidor mudou. Entenda como essa mudança movimenta os restaurantes e quais as dicas para agregar um cardápio saudável no seu menu.

Como o comportamento do consumidor influencia os restaurantes?

Segundo a analista sênior de pesquisa da Euromonitor International, Angelica Salado, é impossível negar o significado de saúde nas mentes dos consumidores que desenvolvem um sentido mais amplo de si mesmos, suas necessidades, gostos e especificidades. Um movimento que se reflete na maneira como esses clientes compram os alimentos e as bebidas.

“Os produtos com um posicionamento limitado em termos de redução de açúcar ou baixa caloria perdem espaço apenas para aqueles que oferecem benefícios funcionais mais amplos: livres de composição e produção orgânica”, explica a analista. Segundo ela, a imagem da marca também desempenha um papel importante no processo de decisões de compra.

“Os consumidores estão menos abertos a assumir o risco com marcas que não conhecem ou que são muito caras ou premium, em tempos de incerteza econômica. Nesse sentido, para as marcas já amplamente conhecidas pelos brasileiros, com forte consciência e lealdade e ainda capazes de oferecer produtos diferenciados, a barreira do julgamento é muito mais fácil de superar. No longo prazo, a comida saudável posicionada será o novo padrão e será maior o número das grandes empresas que estarão se incorporando as marcas saudáveis”

Angelica cita ainda que uma evidência importante mostra que os alimentos considerados saudáveis estão se tornando cada vez mais um padrão das grandes empresas. Alguns desses exemplos seriam a compra da Coca-Cola com a Verde Campo, a Ambev com Sucos Do Bem e a Unilever com a Mãe Terra.

Para a especialista, qualquer empresa de alimentos e bebidas que não tenha uma marca saudável ou, pelo menos, um produto saudável em seu portfólio será ultrapassada.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar