Fispal Foodservice faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Vender pratos saudáveis a preços acessíveis é possível

Vender pratos saudáveis a preços acessíveis: é possível?

Hoje em dia, devido ao estilo de vida cada dia mais intenso das grandes cidades, muita gente vem se alimentando com comidas rápidas, baratas e na maioria das vezes, pouco saudáveis. Geralmente, fazem isso por falta de opção e não por desejo.

Porém, as coisas estão mudando, e nos últimos anos, uma nova tendência vem surgindo tendo como foco o desejo dos consumidores de fazer suas refeições fora do lar de forma mais saudável e que tenham preços acessíveis.

Pensando exclusivamente neste consumidor, muitos restaurantes tem inovado e oferecido em seus cardápios opções saudáveis, porém com o preço ainda alto.

Com conseguir lucro por meio do alimento saudável?

Empresários que pretendem trabalhar o conceito de comida saudável ou apenas a inserção de algumas opções no cardápio, precisam quebrar paradigmas. Para a consultora do Sebrae, Simone Ribeiro Haduo, “o empresário deve primeiro começar por um cardápio que não seja totalmente fixo”. Segundo a consultora, o empresário deve ir na contramão do que o consumidor muitas vezes está acostumado, que é ir no restaurante comer um prato especifico. “Isso poderá até ocorrer, mas a proposta para se obter lucro será criar um conceito dos pratos que serão elaborados de acordo com a sazonalidade e com aquilo que foi encontrado no momento da compra com qualidade e bom preço”.

Essa operação resultará em uma composição de prato que seja acessível ao bolso do consumidor e, claro, mais rentável para o empresário.

Invista na criatividade

Oferecer pratos a preços menores não significa oferecer pratos de pouca qualidade, pois para a boa gastronomia estes termos não são sinônimos. Portanto, se esforce para oferecer produtos com bom preço, mas nunca abra mão da qualidade.

Para reduzir os preços do cardápio, uma boa dica é a criação de pratos que tenham ingredientes “da época”, mas que tenham capacidade de compor pratos saudáveis. Para isso, use a sua criatividade. Faça pratos que engrandeçam ingredientes baratos tornando-os verdadeiras obras de arte da gastronomia.

Invista também na apresentação dos pratos que, quando realizados de forma harmoniosa, despertarão o interesse do cliente e conferirão um aspecto diferenciado na sua experiência gastronômica.

Que tal fazer parcerias com os produtores?

Todo restaurante que precise reduzir os preços do cardápio deve fazer isso sem reduzir a qualidade de seus pratos. Isso é fato e praticamente uma regra. Então, como conseguir reduzir os preços?

Neste sentido, temos um problema que precisamos resolver.

Apesar de crescente, ainda há poucas opções de comidas saudáveis a um preço acessível. Para a consultora do Sebrae, isso decorre do conceito de que comida saudável tem que ter como base os produtos orgânicos.

Porém, esses produtos ainda não apresentam escala de produção, encarecendo o custo da produção quando comparados com o alimento comum. “Isso irá encarecer a ficha técnica do prato”, diz Haduo.

A consultora sugere uma solução bastante interessante. “O empresário deve procurar parcerias estratégicas com produtores locais que topem fazer um preço justo em troca da divulgação dos seus produtos e reforço da sua marca, que necessariamente não precisam ser 100% orgânicos e sim frescos e de ótima qualidade”. Isso funciona como uma espécie de parceria diz a consultora.

Essa divulgação poderá ser de forma discreta e aparecer como insumo do prato consumido no cardápio, na descrição dos ingredientes, ou ganhar maior visibilidade na lousa ou display do cardápio do dia destacando: “Produtos do seu prato foram colhidos tal dia em tal hora da Fazenda/Produtor tal.” Essa é uma sacada de marketing muito interessante e certamente induzirá o consumidor a experimentar o prato.

Como reduzir o custo dos pratos?

Você realmente precisa aumentar o preço dos pratos? O que você acha de definir uma margem de lucro mais justa, reduzindo-a se for necessário para manter seus clientes habituais?

Em tempos de crise, você pode se manter no mercado estabelecendo parcerias estratégicas não só com fornecedores e sim com seu principal aliado, o cliente fiel. Ele quer ter saúde com sua opção saudável, e com isso, manterá a saúde do seu negócio.

A consultora Simone Haduo dá outra dica: Ao fazer a variação diária do cardápio, o preço também terá oscilação de um mínimo e máximo valor de acordo com os insumos escolhidos, “os aumentos se tornam sutis e são absorvidos sem a percepção do cliente”, diz Simone.

Para finalizar, a consultora do Sebrae cita o especialista Brian Wansink, autor do livro Slim by Design e diretor do Food and Brand Lab da Universidade Cornell (Estados Unidos). Em relação ao aumento das margens de lucros, o especialista afirma que os alimentos mais saudáveis tendem a ser mais fáceis de preparar e têm margens maiores.

Uma salada Ceasar, por exemplo, pode ter o mesmo preço de um cheeseburger, mas o custo do preparo é menor. Wansink defende que dar destaque para as opções saudáveis, com margens de lucro maiores, impactaria positivamente sobre a saúde dos frequentadores do restaurante e ainda na saúde financeira do negócio.

Portanto, se você tem um restaurante, siga essa tendência de comidas saudáveis. Mas, lembre-se, esteja sempre atento ao preço de seus pratos. O consumidor e seu negócio terão uma vida mais saudável.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar