Sorvetes

Sorvetes: entendendo a padronização das matérias-primas

Na indústria do sorvete, a padronização das matérias-primas, assim como dos processos que envolvem sua produção, é importante para manter a qualidade do produto. A lógica por trás desse cuidado é a de que quando o cliente gosta de um determinado produto ele espera que na próxima compra esteja com as mesmas características de sabor, aroma, textura, maciez, cremosidade e qualquer outra que chame sua atenção positivamente.

Além da fidelização da clientela, a indústria ganha em facilidade para calcular os custos de produção, melhorar a gestão do estoque e atender uma demanda sem desperdícios de ingredientes. A padronização deve ser feita a partir do balanceamento da formulação, garantindo assim boa textura, rendimento, cremosidade e a maciez do produto colocado à venda.

balanceamento-sorvete-tangara-fispal-food“Não dá para ser ignorada a exatidão da quantidade dos ingredientes calculados e o padrão do processamento de fabricação, pois isso também pode alterar o resultado final”, relata a professora Eliana Rodrigues Pereira, da Escola do Senai Horácio Augusto da Silveira, da Barra Funda.

Vale lembrar que os ingredientes a serem utilizados também necessitam seguir a mesma padronização. A orientação é utilizar sempre as mesmas marcas ou os mesmos tipos de ingredientes.

Quais diferenças são sentidas no sorvete com receita padronizada?

De forma geral, o produto balanceado tende a ter sempre o mesmo sabor, aroma e textura. Se o empreendedor também padroniza o processo, a quantidade e qualidade produzidas tendem a ser sempre as mesmas.

Entretanto, quando uma calda não é balanceada pode haver um aumento ou redução do dulçor, quantidade produzida (overrun) e maciez do sorvete. Poderá, também, ocorrer o descongelamento parcial do produto, mesmo quando armazenado na temperatura correta.

“Esse é um dos maiores problemas para os sorvetes, pois não estando completamente congelados, podem causar o aumento dos cristais de gelo, prejudicando a textura e apreciação do produto. O prejuízo causado pela falta de padronização pode ser muito maior que o tempo gasto para balancear, pesar e produzir de forma adequada” ressalta a especialista.

*Este conteúdo é um publieditorial sob responsabilidade de TANGARÁ.

 

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *